Quatro livros para despertar seu espírito produtivo 

Quatro livros para despertar seu espírito produtivo 

Um dos segredos para a produtividade é se manter sempre antenado. Aprender a gerenciar o tempo para colocar a leitura em dia e ganhar conhecimentos é essencial para quem busca crescer profissionalmente. Porém, é preciso não se limitar à área de atuação e investir também no aprendizado de como se tornar mais eficaz no dia a dia. Atualmente existem dezenas de livros que trazem como principal tema a produtividade e que trazem, de forma simplificada, como criar bons hábitos na vida pessoal e profissional. Conheça cinco que você não pode deixar fora da sua cabeceira: 

Foco: a atenção e seu papel fundamental para o sucesso 

As palavras “Foco” e “Sucesso” têm muito em comum. Pesquisas reunidas pelo autor Daniel Coleman mostram que trabalhar com atenção é o passo número zero para conseguir alcançar as suas metas, seja nos estudos, no trabalho ou em qualquer plano da vida pessoal. 

O autor aponta que o nosso foco é como um músculo que ganha força ao ser exercitado, mas que da mesma forma, atrofia caso não seja utilizado. Em uma época de celulares com notificações a cada minuto e diversas redes sociais a tirarem a nossa atenção a todo instante, este é um guia imperdível para começar seus exercícios! 

O poder do hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios 

Já se perguntou o motivo de fazer as coisas como você faz? De colocar o arroz sobre o feijão a não conseguir ter disciplina para se manter na academia, tudo na nossa vida é culpa de anos de hábitos aprendidos desde a infância, que vamos repetindo e se tornam parte de nós. Alguns bons, outros nem tanto. 

Esta é a teoria defendida por Charles Duhigg neste best-seller que ficou por meses na lista dos mais vendidos. Mas além de te explicar como a sua vida é feita de hábitos, o autor também mostra que é possível modificá-los para se tornar mais produtivo. 

Os 12 hábitos das pessoas altamente produtivas: aprenda a produzir mais, sem stress e em menos tempo 

Ser produtivo significa trabalhar mais? Segundo o autor Rogerio Job, de maneira nenhuma! Apesar do título longo, o livro é sucinto e rápido, mostrando em passos simples como hábitos diários podem transformar a nossa produtividade, nos fazendo produzir mais em menos tempo.  

O segredo, segundo ele, é organização e otimização do tempo. Para isso, separou o aprendizado em 12 lições que são o caminho das pedras para alcançar os objetivos no trabalho e na vida pessoal com mais assertividade e menos stress. 

A arte de fazer acontecer: estratégias para aumentar a produtividade e reduzir o estresse 

Planejamento e método são duas importantes raízes para quem busca ser produtivo. A partir de três décadas de pesquisas, David Allen reuniu diversas práticas que tornam o dia a dia profissional mais dinâmico e menos estressante. 

Segundo o autor, são necessárias algumas estratégias para fazer o trabalho fluir de forma mais suave, como aplicar a chamada “Regra de dois minutos” (fazer, delegar, adiar ou jogar fora), sempre reavaliar metas de longo prazo, controlar a ansiedade e a sobrecarga de trabalho e até aprender a se desapegar de coisas menos urgentes. Dentro de cada um dos temas o autor traz técnicas e reflexões práticas que podem ser aplicadas pelo leitor no seu próprio cotidiano e obter grandes resultados. 

 

 

O que as técnicas de atenção plena podem fazer pela produtividade da sua empresa

O que as técnicas de atenção plena podem fazer pela produtividade da sua empresa

Celular, redes sociais, aquele problema pessoal que ficamos mastigando o dia todo. São muitas as distrações que tiram a produtividade do colaborador no dia a dia. Pesquisas internacionais mostram que equilíbrio emocional e foco são determinantes para um bom rendimento no trabalho e desde os anos 70 as empresas têm investido em estudos e técnicas para o aumento da concentração. Uma das bases do Programa Empresa Consciente é exatamente aplicar o mindfulness (como é conhecido o conjunto de técnicas de atenção plena nos EUA) para possibilitar ao colaborador render mais tanto no expediente quanto na sua vida pessoal.

Meditação, respiração e tranquilidade

As bases do mindfullness estão em técnicas budistas de meditação e respiração que datam de mais de dois mil anos. Ao longo do tempo, o estudo evoluiu para ser praticado não só por monges, mas para pessoas comuns que buscam mais qualidade de vida. Hoje é possível encontrar uma extensa lista de livros sobre como aplicar as técnicas no seu dia a dia e a UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) conta com um Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção de Saúde, que oferece atendimento para os interessados no tema. No entanto, programas como o Empresa Consciente levam este estudo diretamente ao horário de trabalho dos colaboradores, trazendo ainda mais efetividade para a prática em ambiente profissional.

No Grupo 5A, por exemplo, são realizadas semanalmente, durante o horário de trabalho, palestras e vivências que ensinam técnicas de atenção plena. “O objetivo é parar um pouco o tempo, deixar as preocupações de lado e focar na respiração, alcançando um estado de tranquilidade emocional que aos poucos libera a mente do colaborador para focar inteiramente nas suas tarefas. Os encontros acontecem no Espaço Viva Consciente e trazem um clima relaxante, com músicas suaves. Porém, a ideia é que os participantes também repliquem as técnicas durante o expediente sempre que for necessária uma ‘limpeza’ emocional”, conta Ivone Boldrini, responsável pela área de RH do grupo 5A e coordenadora dos treinamentos em mindfulness do Programa Empresa Consciente.

Quer conhecer como seus colaboradores podem ter mais qualidade de vida e produtividade no dia a dia? Conheça o Programa Empresa Consciente!

Como o acompanhamento de metas e a meritocracia auxiliam na motivação das equipes

Como o acompanhamento de metas e a meritocracia auxiliam na motivação das equipes

É normal que com as demandas e stress do dia a dia os colaboradores muitas vezes se sintam um pouco desmotivados, perdendo a sua produtividade. Neste ponto, é papel da liderança e da estratégia procurar maneiras de incentivar a automotivação, trazendo uma visão de crescimento pessoal no médio e longo prazo, apoiado em um plano sólido de metas.

O Programa Empresa Consciente, criado pelo Grupo 5A, utiliza diversas ferramentas, como feedbacks corporativos, coaching profissional e visão transparente do que pode ser feito pelo crescimento do colaborador durante a sua jornada dentro da empresa. Desta forma, ao mostrar a ele o que tem que fazer e por quanto tempo para alcançar um determinado resultado, a ansiedade e o esgotamento se modificam para a determinação.

Além de contar com sofisticados métodos de seleção e práticas de retenção de talentos (saiba mais em outros posts), o programa também conta com ferramentas para organizar pessoas, processos e ferramentas tecnológicas que integra as diferentes camadas da organização a partir do controle de indicadores, metas e riscos, como gestão de desempenho e competências individuais, além da meritocracia, alinhando a estratégia à operação.

Este diferencial torna o programa Empresa Consciente mais do que apenas um conjunto de políticas, apoiando o líder no acompanhamento das metas e objetivos estabelecidos. Para isso, é incluída também a implantação de um software avançado para a gestão de desempenho, com o objetivo de ter controle e redirecionar a equipe e o colaborador. As melhores políticas para contratação, retenção, qualidade de vida e reconhecimento são os primeiros passos para qualquer empresa que quer melhorar sua produtividade. Mas com o Programa Empresa Consciente o objetivo é dar um passo além, trabalhando a consciência pessoal, profissional e social do colaborador.

Quer saber mais sobre o Programa Empresa Consciente? Veja nossas publicações ou entre no nosso hotsite!

Ansiedade, stress e depressão: como incentivar seus líderes a terem mais inteligência emocional? 

Ansiedade, stress e depressão: como incentivar seus líderes a terem mais inteligência emocional? 

Dificilmente buscamos o desenvolvimento emocional com a mesma intensidade que buscamos o desenvolvimento intelectual. Por este motivo, a ansiedade, stress, depressão e outros transtornos mentais fazem parte da nossa rotina. 

Hoje, a ansiedade e a depressão já são consideradas como as causas mais incapacitantes do mercado de trabalho e principais motivos de absenteísmo e abandono de emprego em uma sociedade que precisa melhorar sua produtividade. 

Um outro fator é que os profissionais nas empresas, principalmente os que ocupam cargos de liderança, vivem 100% do tempo submetidos às pressões do cotidiano e são cobrados por resultados. É preciso entregar sempre um pouco mais e, muitas vezes, sem saber o que terá em retorno. 

Até a década de 1920 era considerado “inteligência”, para efeitos acadêmicos, o resultado do teste de QI. De lá para cá, principalmente após os anos 80, estudiosos definiram que o ser humano tem uma série de diferentes “inteligências”, entre elas a emocional, que hoje é definida por um conjunto de competências, como empatia, auto percepção, auto-controle, habilidades sociais e motivação. Junto à inteligência “tradicional”, essas habilidades são essenciais para a produtividade no dia a dia e é papel da empresa e dos seus líderes desenvolvê-las com os seus colaboradores. Mas como alcançar este resultado? 

Uma palavra: consciência 

Por acreditar que o diferencial competitivo das empresas está no seu capital humano e que o RH é uma das áreas mais importantes, o Grupo 5A criou o Programa Empresa Consciente, que trabalha todas as questões internas que afetam diretamente a produtividade das organizações. O sistema se baseia no princípio de que tudo começa na gestão das pessoas, mais especificamente dos talentos e lideranças dentro das empresas, colocando a pessoa certa no lugar certo e criando políticas para reter este talento na empresa durante o período em que as expectativas estejam alinhadas. 

Um dos pilares da retenção dos talentos é dar qualidade de vida ao colaborador, prevenindo o surgimento de ansiedades e transtornos que impactem o seu dia a dia.  Entre as iniciativas do programa estão a criação, dentro da empresa, do Espaço Viva Consciente, com ambientes para proporcionar equilíbrio emocional e descompressão dos colaboradores, que podem praticar atividades para diminuir o stress, durante o expediente, realizam exercícios de “mindfulness”, uma técnica que auxilia a manter a atenção plena no momento presente. O local também conta com profissionais da área da saúde, como fisioterapeutas e nutricionistas, com sessões de massagem e consultas para planos de atividade física e alimentação saudável. Aplicadas na própria estrutura operacional do Grupo 5A, que conta com mais de 150 colaboradores, essas iniciativas reduziram o nível de absenteísmo em mais de 30% em um ano. 

Conheça o Programa Empresa Consciente e leve mais qualidade de vida e produtividade para a sua organização. 

Como uma alimentação equilibrada pode te tornar mais produtivo 

Como uma alimentação equilibrada pode te tornar mais produtivo 

O conceito não é novo. Desde a década de 70 que pesquisas dão conta da importância de se alimentar corretamente para ter um dia a dia mais ativo, tanto na vida pessoal quanto profissional. No entanto, atualmente as empresas estão cada vez mais atentas ao bem-estar dos seus colaboradores e ajudá-los a ter uma rotina mais saudável é uma das chaves para evitar problemas de saúde que levam ao absenteísmo e baixa produtividade no ambiente de trabalho. “Em 1976 o governo criou o PAT, que é o Programa de Alimentação do Trabalhador. Desde aquela época já se sabia que era necessário estar bem alimentado para desenvolver as suas atividades com maior qualidade possível. Este é um dos programas mais bem sucedidos do mundo e foi criado pois muitos acidentes de trabalho aconteciam logo no início das jornadas, fruto da má alimentação dos colaboradores”, conta a nutricionista Cristina Rubim, responsável pelo atendimento nutricional do Programa Empresa Consciente, desenvolvido pelo grupo 5A. Segundo Cristina, a partir de então a iniciativa privada fez grandes avanços neste campo, principalmente com a criação de refeitórios  nas empresas com cardápios criados por nutricionistas e fornecendo vales alimentação e refeição para os seus funcionários.  

Hoje, programas como o da 5A vão além, pois lidam com a mudança de cultura que aconteceu daquele tempo para os dias de hoje. “Neste meio tempo, o brasileiro melhorou de renda e teve mais acesso à alimentação, porém, passou também a fazer escolhas menos saudáveis. Hoje, diferentemente daquela época, temos a questão da obesidade, ocasionada pela transição nutricional das pessoas, trocando a comida caseira por fast foods ricos em gordura, sal e açúcar”, explica. Para lidar com esta questão, a nutricionista explica que ações governamentais já estão sendo colocadas em prática nas merendas escolares, com o objetivo de criar adultos com uma consciência diferente, mas que é papel das empresas criar essa consciência também nos adultos. “No Programa Empresa Consciente lidamos com a transição de hábitos para que o colaborador se sinta mais disposto e com consciência para fazer escolhas mais inteligentes visando sua qualidade de vida, além de não passar tanto tempo indo a médicos. Por isso, trabalhamos a alimentação em conjunto com atividade física e práticas de saúde emocional, visitando o bem-estar em todos os aspectos”, afirma. 

Atendimento individual e grupos 

Dentro do espaço Viva Consciente, a equipe de nutricionistas cria planos individuais, lidando com cada colaborador de maneira diferente, além de atividades em grupo. “Nós adequamos as experiências a cada indivíduo e fazemos também dinâmicas, que fortalecem o companheirismo e ajudam a criar e manter relacionamentos dentro da empresa, permitindo que o colaborador divida também suas angústias do dia a dia, ansiedades e busque outros mecanismos de recompensa que não sejam a comida”, conta Cristina, que explica que com o tempo as próprias equipes criam um laço de ajuda mútua, trocando ideias para refeições mais saudáveis e diminuindo hábitos diários pouco saudáveis, como deixar petiscos nas gavetas do trabalho. 

Outra maneira de incentivar os novos hábitos é a criação de metas e pontuação por performance, de acordo com o plano traçado com a nutricionista, considerando possibilidade e tempo disponível de cada colaborador. Para a nutricionista, os resultados podem ser vistos tanto na queda dos índices de faltas por motivos de saúde, mas também pela motivação dentro do espaço de trabalho. “Nós geramos relatórios de resultados de cada caso, mas tão importante quanto isso é ver uma grande melhora do clima organizacional entre aqueles que frequentam o espaço, trazem marmitas mais saudáveis e têm uma postura mais colaborativa, deixando de descontar o stress do dia a dia em uma barra de chocolate”, finaliza Cristina. 

Quer conhecer mais vantagens do Programa Empresa Consciente e levá-lo para a sua organização? Venha conhecer! 

 

Como lidar com colaboradores de diferentes gerações? 

Como lidar com colaboradores de diferentes gerações? 

Economia, tecnologia e inúmeros fatos sociais diferenciam os hábitos, costumes e comportamentos das gerações. Os jovens de hoje em dia em nada se parecem com aqueles da década de 70 ou 80. Pode-se pôr a culpa deste fenômeno na globalização ou até mesmo na internet, mas o fato é que essa mudança de mentalidade entre as faixas etárias está cada vez mais evidente e acelerada. Quem está terminando a faculdade tem uma visão de mundo e ambições diversos daqueles que estão no mercado há mais de 10 anos, que por sua vez também se diferenciam daqueles que estão há 25, 30 anos com carteira assinada. Para as empresas, urge compreender como cada um desses colaboradores pode desempenhar da melhor forma possível e como conciliar seus interesses ao que a empresa pode oferecer, além de intermediar as relações entre eles, muitas vezes também conflituosas. É um desafio e tanto! 

Alcançar bons índices de produtividade em uma equipe formada muitas vezes por colaboradores de até três gerações diferentes é o que a estratégia da empresa – presidência e vice-presidência – espera da sua camada de liderança, porém, é necessário que eles contem com ferramentas adequadas para essa gestão. Principalmente para quem está iniciando a trajetória profissional, chegando tecnicamente preparado ao mercado de trabalho, motivado em crescer rapidamente, mas ainda sem traquejo para o cotidiano, é preciso acalmar a ansiedade. Para isso, o Programa Empresa Consciente oferece iniciativas focadas em qualidade de vida, feedbacks rápidos e perspectiva profissional transparente. O objetivo é mostrar a este profissional o que ele tem que fazer e por quanto tempo deve fazer para alcançar um determinado resultado, transformando a sua ansiedade em determinação. Para ampliar o foco e a produtividade, são indicadas políticas que visam a promoção da sua saúde física e emocional. Já para as camadas de liderança, geralmente ocupadas por gerações anteriores e com uma visão mais consciente da sua jornada dentro da empresa, o programa traz ferramentas como a análise transacional, que agrega um maior controle emocional para a gestão eficiente da cadeia hierárquica sob a sua tutela (falamos em detalhes sobre as vantagens da utilização da análise transacional para a formação de bons líderes. Clique aqui para ver!). 

Uma relação harmoniosa entre colaboradores de diferentes gerações é importante para qualquer empresa que busque o máximo de produtividade. Saiba mais sobre as iniciativas do Programa Empresa Consciente e o que o Grupo 5A pode fazer pela performance da sua equipe! 

Mente, corpo e reconhecimento – camadas que precisam funcionar em conjunto na sua organização 

Mente, corpo e reconhecimento – camadas que precisam funcionar em conjunto na sua organização 

A força das organizações está nos talentos que ela consegue atrair e reter. O talento humano, quando acompanhado de valores como transparência, ética, respeito e profissionalismo, se torna o principal ativo das empresas. E se estimulado da forma correta, corresponde com uma entrega de qualidade e alinhada às expectativas da companhia. 

Este talento deve ser gerenciado a partir de três camadas que se complementam: “Mente”, “Reconhecimento” e “Corpo”. Conheça um pouco de cada uma e como elas trabalham no Programa Empresa Consciente em prol da produtividade da sua equipe.  

Na camada “Mente”, identificamos os pontos fortes e potencialidades dos profissionais, além do seu alinhamento com os valores da empresa. Para isso, utilizamos testes reconhecidos internacionalmente e adaptados pelo Grupo 5A para o mercado brasileiro, que avaliam a personalidade e o comportamento dos candidatos, selecionando os melhores para a sua equipe. 

A camada “Reconhecimento” cuida da evolução profissional da sua equipe, a partir de ferramentas como feedbacks corporativos, coaching profissional, plano de metas e de crescimento meritocrático a partir de um sistema desenvolvido pela 5A Talentos. 

Para uma mente sã é necessário um “Corpo” são, por isso assim denominamos nossa terceira camada essencial. Acreditamos no bem-estar da equipe como essencial para um ambiente de alta performance e produtividade. A 5A Essence, empresa do grupo especializada em políticas de retenção, leva para a empresa ferramentas de bem-estar para promoção de saúde e qualidade de vida, como o Espaço Viva Consciente, onde o funcionário conta com um espaço para relaxamento e apoio profissional fornecido pela empresa para cuidar do seu corpo e alimentação.  

Quer saber mais sobre essas e outras iniciativas para o aumento da produtividade da sua empresa? Acesse o hotsite do Programa Empresa Consciente. 

 

Ambiente tóxico: como evitar este mal do mundo corporativo na sua organização?  

Ambiente tóxico: como evitar este mal do mundo corporativo na sua organização?  

Cobranças, pressão por resultados, incertezas e mercado competitivo são alguns dos principais geradores de instabilidade emocional no mundo corporativo e surtem efeitos negativos no clima organizacional de toda a estrutura do negócio, culminando em perda de produtividade e, lá na ponta, queda no faturamento.   

Ambientes tóxicos são construídos principalmente pela liderança. Preocupados em mostrar resultados definidos pela estratégia operacional, criam um ambiente de insegurança e desrespeito com os colaboradores, que se manifesta no tom de voz inadequado, palavras duras e postura invasiva, como se os fins justificassem os meios. A equipe, eternamente assombrada pelo fantasma da demissão, se recolhe e evita se posicionar. O trabalho é visto como um fardo e o líder não como companheiro, mas um déspota que só acredita em si mesmo. E, infelizmente, este modelo de gestão “quem pode mais, fala mais alto” costuma ser reproduzido em toda a cadeia hierárquica, da presidência ao operacional. Quem consegue ser produtivo em um ambiente assim? 

Ciência e produtividade 

Há anos a neurociência tem estudado como as condições do ambiente de trabalho e estímulos externos influenciam a produtividade. Ficar exposto a cenários de incertezas, especialmente os que se prolongam, provoca muito stress, que quando aliado a agitação em excesso, ausência de objetivos bem definidos, falta de foco e atenção – características comuns dos profissionais de hoje em dia -, o desempenho profissional fica seriamente comprometido. 

O que as organizações de hoje precisam são líderes, que não estão nos seus cargos para comandar, mas para direcionar a estratégia da empresa, levar a cultura e valores da organização para os processos diários, mediar conflitos e, claro, tomar decisões. Porém, sempre em conjunto com a equipe. Várias cabeças sempre pensarão melhor do que uma. 

O Grupo 5A sempre se pautou na premissa de que as empresas precisam contar com o colaborador certo no lugar certo como chave para ganhar produtividade. Em relação aos líderes, isso não é diferente. Com a evolução da ciência dos recursos humanos, hoje é possível identificar o profissional com o melhor perfil para encabeçar uma equipe, utilizar ferramentas que potencializem as suas habilidades e o transformem, de fato, em um profissional de liderança. Mas como isso é feito? O que é preciso, afinal, para ser um líder? 

Como chegar ao perfil ideal? 

O grande desafio das organizações agora é encontrar (ou formar) o líder que combine, na medida do possível, o melhor conjunto de qualidades, se sobressaindo a razão e equilibrando valores e inteligência emocional. Chegar a este resultado é um dos objetivos do Programa Empresa Consciente, idealizado pelo Grupo 5A, a partir de técnicas como a análise transacional, que possibilita a verificação de comportamentos negativos e auxilia no processo de mudança. O profissional quando tem acesso a essa teoria passa a entender sua estrutura funcional e identifica quais são os gatilhos que provocam o desequilíbrio emocional. O programa também trabalha com programação neurolinguística, que mostra as crenças limitantes do profissional e as modifica para atitudes transformadoras. Pelo lado da psicologia positiva, o líder recebe coaching para reflexão e identificação de alternativas para resolução de problemas, além de receber auxilio para aprender a estabelecer objetivos e se atentar às metas. Aliado a isso ainda está a técnica de “Mindfulness”, que utiliza a respiração para tranquilizar a mente e diminuir o stress e a ansiedade. 

O enfoque da implementação desse programa na camada de liderança cria um ambiente de saúde física, mental e de bem-estar entre todos os colaboradores. Por meio de um sistema sólido de gestão de metas, meritocracia e pesquisas de clima organizacional é possível ainda mensurar a resposta dos profissionais aos treinamentos e o consequente aumento da produtividade em todos os níveis da empresa.  

Bons líderes, via de regra, não nascem espontaneamente. É preciso cultivá-los, dar a eles instrumentos que os motivem a evoluir, transformando em definitivo a sua organização para o futuro. 

Descubra como a análise transacional pode ajudar a fortalecer a liderança da sua empresa 

Descubra como a análise transacional pode ajudar a fortalecer a liderança da sua empresa 

Todo processo de mudança e direcionamento dos negócios da empresa começam pela camada de liderança. É papel dos colaboradores em cargos gerenciais retransmitir os valores e cultura da empresa para aqueles que estão sob a sua hierarquia. Para isso, consciência e fortalecimento emocional são imperativos. 

Nos últimos anos, estudos internacionais desenvolveram métodos eficazes para analisar o perfil dos profissionais e como eles se relacionam dentro da organização, indicando caminhos para sua evolução pessoal e na sua jornada dentro da empresa. A análise transacional é um deles. O método de abordagem psicológica, criado na década de 50 pelo psiquiatra americano Eric Berne, torna possível entender como as pessoas funcionam e interagem, elas o fazem a partir de três diferentes estados de ego. Um estado de ego é uma maneira específica de pensar, sentir e comportar-se e cada estado de ego tem sua origem em regiões específicas do cérebro. As pessoas podem comportar-se a partir de seu estado de ego Pai (valores e crenças), de seu estado de ego Criança (emoções) ou a partir de seu estado de ego Adulto (racional, análise da realidade). O ideal é que os três estados de ego estejam em equilíbrio para dar as respostas compatíveis com a realidade.  

Nas empresas de hoje é comum encontrarmos lideranças com atitudes fora do padrão ideal de estrutura de ego, trazendo muitas vezes um comportamento ego pai com valores rígidos e perfil de cobrança negativo; o ego adulto pouco presente, com mínima racionalização; e ego criança com perfil rebelde, isto é, sem capacidade de tomar decisões em conjunto. É do jeito que ele quer e pronto. Este é o que hoje em dia se convencionou chamar de “liderança tóxica”, um profissional que não consegue da sua equipe os melhores índices de produtividade pela sua falta de capacidade para motivar e entender as necessidades da sua equipe. E mesmo que possa ter uma grande capacidade técnica para operar no negócio da empresa, falta-lhe inteligência emocional para gerir outros colaboradores, resultando em um péssimo clima organizacional. Em alguns casos mais extremos, pode protagonizar inclusive episódios de assédio moral, levando a empresa a arcar com consequências jurídicas pelos seus atos. 

Como chegar ao perfil ideal? 

O grande desafio das organizações agora é encontrar (ou formar) o líder que combine, na medida do possível, o melhor conjunto de egos, se sobressaindo a razão (ego adulto) e equilibrando valores e inteligência emocional. Chegar a este resultado é um dos objetivos do Programa Empresa Consciente, idealizado pelo Grupo 5A. Ferramentas como o coaching possibilitam ao profissional perceber quais competências ele ainda precisa desenvolver para tomar a frente da sua equipe, entre elas a visão de como todas as áreas da empresa se complementam, da sua responsabilidade dentro deste ecossistema e da necessidade de fazer uma gestão dos seus subordinados com entendimento emocional, regida pela empatia.  

A Análise Transacional é um dos métodos utilizados pelo Programa Empresa Consciente para levar as organizações para o futuro e obter os melhores índices de produtividade apoiando-se nos pilares de evolução das camadas “Mente”, “Corpo” e “Reconhecimento” do elemento humano, oferecendo à liderança das empresas ferramentas para uma gestão mais saudável. 

Saiba mais sobre o programa e como ele pode tornar a sua empresa ainda mais produtiva. 

 

A missão do líder de retransmitir os valores e cultura da empresa

A missão do líder de retransmitir os valores e cultura da empresa

Missão, visão e valores são três aspectos importantes da construção de uma empresa, mas muitas vezes acabam esquecidos na prática do dia a dia, relegados a apenas um tópico no website. Infelizmente, isso é muito comum e normalmente um subproduto do crescimento. À medida em que a organização ganha mais colaboradores e precisa se ajustar a novos processos, cabe ao presidente – e às lideranças – manter viva a cultura do seu nascimento, o que raramente acontece. 

Para os tecnicistas, esses aspectos culturais podem parecer secundários em detrimento ao objetivo principal de qualquer organização, que é obter crescimento e lucro, e essa é uma visão que em curto prazo pode dar resultados. Porém, a história mostra que empresas mais fortes são aquelas que conseguem manter, independente das mudanças de pessoas, processos e tecnologias internas, os laços com os ideais da sua fundação. Quantos exemplos não conhecemos de grandes corporações que, após a morte do seu líder visionário e “gênio”, não perderam muito da sua identidade? Marcas que passaram décadas inovando e cultivando uma legião de fãs de uma hora para a outra ficam órfãs, perdem a cabeça. Com isso, desatam o vínculo com os clientes, que não sabem mais o que esperar dos seus produtos e serviços. O impacto resultante é palpável sobre os negócios, pois influencia diretamente no desenvolvimento de novos produtos e qualidade dos serviços prestados, minando a fidelização.

Uma das bases do Programa Empresa Consciente é justamente transformar a camada de liderança a partir de ferramentas como análise transacional, mindfulness, programação neurolinguistica e coaching. A partir destes instrumentos, o profissional estará mais apto a se comunicar de forma transparente e eficaz com seus liderados, reverberando a cultura e valores da empresa para toda a organização, transformando-a para o futuro e auxiliando no seu crescimento sem que se perca a sua identidade no processo.

O que torna uma empresa produtiva (ou improdutiva)? 

O que torna uma empresa produtiva (ou improdutiva)? 

Economia volátil, concorrência acirrada, câmbio desfavorável… Muitos são os motivos que roubam o sono do administrador atualmente, mas em um cenário como este vale a máxima: você – sua empresa – está fazendo tudo que poderia para sair vencedora das adversidades? Se o cenário externo é muitas vezes imprevisível e incontrolável, há muito que pode ser feito da porta para dentro. As empresas do Grupo 5A transformam empresas a partir de três pilares: pessoas, processos e tecnologia. Deles, o capital humano é o mais importante ativo das empresas, embora muitas vezes negligenciado. Contar com profissionais comprometidos e motivados pode ser a chave para não perder o rumo nas águas turbulentas dos tempos de crise. Mas como contar com uma equipe de alta performance e produtividade?  

Da contratação à retenção, alguns detalhes são essenciais. Primeiro: como funciona o processo seletivo da sua empresa? Contar com o colaborador certo para cada posição é um dos diferenciais das empresas produtivas. Neste sentido, devem ser observados tanto as qualificações formais – escolaridade, formação técnica e experiência compatíveis com o cargo -, quanto emocionais: ambição do candidato em relação ao cargo e salário oferecidos, suas aspirações de carreira, capacidade para liderar, se a posição exige. Enfim, o conjunto de qualidades adequado ao que se espera daquele profissional. Neste ponto, objetividade nas relações é fundamental: um grande amigo ou parente não necessariamente é o mais qualificado para uma posição e negligenciar isso em nome de um relacionamento pessoal pode ser prejudicial para o negócio.  

Tão importante quanto saber contratar é conseguir reter este talento enquanto as expectativas dele estiverem alinhadas às da empresa. Quais são as ferramentas de meritocracia que a sua empresa oferece? Existe um programa de crescimento, qualificação ou até reciclagem para os profissionais? Como anda o clima organizacional da sua equipe? Estão motivados? Existe um programa que aposte na qualidade de vida? 

Se não souber a resposta ou ela for negativa é importante pensar em uma reprogramação da relação da sua empresa com a equipe. Diversos estudos já comprovam que profissionais motivados e focados são o diferencial de qualquer empresa competitiva. Para isso, programas como o Empresa Consciente, do Grupo 5A, disponibilizam diferentes ferramentas para a retenção e qualidade de vida dos talentos das empresas. Neste artigo falamos mais sobre isso: (colocar link para “Colaboradores saudáveis e motivados devem ser uma prioridade estratégica para a empresa”). 

Conte com o Programa Empresa Consciente e o Grupo 5A para transformar sua organização para o futuro. 

O capital humano é a principal fonte de produtividade de uma empresa, mas nem sempre é encarado como tal. Por meio do Programa Empresa Consciente,  

 

Colaboradores saudáveis e automotivados devem ser uma prioridade estratégica para a empresa 

Colaboradores saudáveis e automotivados devem ser uma prioridade estratégica para a empresa 

Já há algum tempo que especialistas do setor de RH e gestão de pessoas começaram a entender os benefícios das práticas de qualidade de vida se transformando em um processo de automotivação para a produtividade. Não temos como entrar no assunto sem falar de organizações como o Google, que foram divisores de água neste setor, com pioneirismo em boas práticas para maior saúde emocional dos colaboradores. Hoje, esses conceitos estão bem difundidos e foram aprimorados por programas como o Empresa Consciente, do Grupo 5A, que sistematizou as teorias e trouxe embasamento científico e estatístico. Hoje, é possível ver nos números os efeitos de uma política baseada no bem-estar da equipe, o que tornou a sua implantação uma prioridade estratégica para qualquer empresa que queira se destacar. Ao trabalhar aspectos emocionais e cognitivos dos colaboradores, o programa torna-os aptos a trabalhar com foco e concentração total, aplicando técnicas de “mindfulness”, ou “atenção plena”, e ferramentas de qualidade de vida.  

Um dos grandes diferenciais é a instalação, na própria sede da empresa, do o “Espaço Viva Consciente”, que reúne diferentes iniciativas em prol da saúde e bem-estar dos colaboradores, como Espaço de Equilíbrio e Descompressão, um ambiente leve, com pufes e fones de ouvido, onde o funcionário pode se libertar um pouco do stress e relaxar para recarregar as baterias. O programa também conta com a atuação de nutricionistas, fisioterapeutas e até educadores físicos. O objetivo é ajudar os colaboradores a fazerem melhores escolhas na hora de se alimentar, aliviar as tensões do dia a dia com massagens rápidas e disponibilizar um programa de exercícios que traga um estilo de vida mais ativo e saudável,  

Ao aplicarmos ferramentas como essas no próprio Grupo 5A conseguimos resultados visíveis. No prazo de um ano, nossa equipe de mais de 150 colaboradores registrou uma impactante queda de 30% no absenteísmo. Porém, ainda mais importante que os dados estatísticos é perceber a mudança visível no clima organizacional, mostrando a importância do equilíbrio físico e mental para produzir mais e melhor. 

E a sua empresa, está preparada para alcançar resultados assim? Venha conhecer o Programa Empresa Consciente! 

Como encontrar (ou formar) o líder que a sua organização precisa

Como encontrar (ou formar) o líder que a sua organização precisa

A visão que se costuma ter de um líder é daquele profissional que tem uma visão global do negócio, entende todos os processos e como eles se complementam na estrutura da empresa e sempre encontra o melhor caminho para a organização. Encontrar a pessoa certa para um cargo de liderança pode ser desafiador e mais difícil ainda é formar um bom líder. O mercado, antes acostumado a selecionar líderes pela valorização das competências e conhecimento técnico, deverá sofrer uma mudança em que o perfil mais generalista e com capacidades emocionais, comportamentais e de personalidade estará em destaque. Mas como fazer isso?

Uma das chaves do Programa Empresa Consciente é trabalhar o lado emocional e comportamental do colaborador durante toda sua permanência na empresa. Sim, conhecimento técnico sólido da área de atuação é de suma importância para a contratação, mas o alinhamento deste profissional aos valores e ambições do cargo e da organização são fundamentais. Após encontrar esse profissional vem a parte mais desafiadora, mantê-lo. Neste sentido, o constante feedback, tanto de resultados quanto comportamental, é a principal ferramenta para a sua evolução. A partir deste coaching, o profissional percebe quais competências ainda precisa desenvolver para melhorar seu desempenho e da sua equipe na organização, além da visão de como todas as áreas da empresa se complementam, da sua responsabilidade dentro deste ecossistema e da necessidade de fazer uma gestão dos seus subordinados com entendimento emocional e empatia.

O Programa Empresa Consciente se preocupa com a identificação e controle da evolução profissional dos colaboradores que queiram se tornar lideres, porém, é necessário que se crie um ambiente favorável ao desenvolvimento de competências emocionais, comportamentais e visão de resultados próprias para os cargos de liderança.

Um erro comum em muitas empresas é confundir o status pessoal de um colaborador com a sua competência para liderar. Um familiar ou amigo próximo pode ser um grande interessado no crescimento da empresa, mas sem uma formação adequada dificilmente será um bom líder. E sem uma cabeça boa, é difícil o corpo sobreviver. Assim, o novo líder deverá ter total objetividade nas relações, critérios técnicos para contratação e estratégias eficazes para formação e evolução da equipe.

Venha conhecer como nosso programa ajudará a sua organização a formar os melhores líderes!

http://ayty.rds.land/programa-empresa-consciente

Você acredita que excelentes profissionais estão sobrando no mercado? Pense de novo! 

Você acredita que excelentes profissionais estão sobrando no mercado? Pense de novo! 

O atual nível de competitividade do mercado demanda profissionais com cada vez mais qualificação e este cenário é ainda mais acentuado se levarmos em conta um contexto de economia globalizada, em que empresas brasileiras têm concorrentes diretos em outros países. Essa é uma realidade que se torna ainda mais evidente em segmentos como a tecnologia da informação, que se atualiza quase diariamente. Se neste cenário encontrar profissionais que preencham os pré-requisitos para uma boa produtividade em cargos operacionais já é muito difícil, imagine para posições de liderança. 

No ano passado, O Instituto Paulo Montenegro – em parceria com a ONG Ação Educativa – lançou um estudo que evoluiu a maneira como entendemos o analfabetismo funcional, hoje um dos grandes vilões da nossa falta de produtividade. Até então, a alfabetização era entendida de uma forma muito mais monocromática, isto é, dividia-se a população em analfabetos e alfabetizados e, este segundo grupo, entre “básicos” e “plenos”, sendo esta última categoria a mais bem formada intelectualmente. Descontando conhecimentos específicos de cada área de atuação, este grupo – pela sua capacidade de interpretação de textos, tabelas, gráficos e de planejamento, poderiam ser considerados os mais qualificados para o mercado de trabalho. Entre 2011 e 2012, considerava-se que mais de 20% da população em idade para trabalhar no Brasil estava neste grupo. Porém, o novo estudo – mais aprofundado – mostrou que a situação é ainda mais dramática do que se imaginava. 

A partir desta remodelagem, o INAF – Indicador de alfabetismo funcional – transformou o básico e o pleno em três novas categorias: “Elementar”, “Intermediário” e “Proficiente”. Neste novo recorte, a porcentagem daqueles mais qualificados caiu de 20% para 8%. Ou seja: se antes, de cada dez pessoas, esperava-se que duas delas não tivessem restrições em leitura, interpretação de textos, gráficos e tabelas e estivessem aptas a fazer operações matemáticas (e/ou financeiras), agora ficou difícil encontrar uma que seja com esses requisitos. Dentro deste número baixo, mas ainda geral, imagine que ainda há um recorte ainda menor a ser feito: daqueles que ainda agregam competência técnica específica para o ramo de atuação da sua empresa. Difícil, não é mesmo? 

Neste cenário nebuloso, encontrar a pessoa certa e colocá-la no cargo que o seu negócio necessita é um dos grandes desafios que a 5A Talentos se propõe a enfrentar. Mas, mais do que isso, nossa meta é também reter essa pessoa pelo tempo em que ela e a empresa entenderem como necessário para o crescimento dos dois, pois está muito claro que talentos são raros e devem ser preservados. 

Para isso, além de avançadas técnicas de seleção, o Programa Empresa Consciente também aplica ferramentas de gestão pessoal, motivação e qualidade de vida que refletem em maior produtividade e baixos índices de absenteísmo e rotatividade no seu quadro de colaboradores. 

Conheça a iniciativa que trará alta performance para a sua equipe! (link para o Hotsite) 

Veja aqui o estudo completo INAF – Indicador de alfabetismo funcional: https://drive.google.com/file/d/0B5WoZxXFQTCRRWFyakMxOTNyb1k/view) 

Como o capitalismo consciente está transformando as organizações e a sociedade

Como o capitalismo consciente está transformando as organizações e a sociedade

O Capitalismo sempre foi associado ao apetite voraz e sem limites. A mitologia grega contava a história de Erisícton, um rei da Tessália tomado pela ambição de construir um grande palácio e que, para erguê-lo, violou o bosque de Deméter, deusa da agricultura. Ofendida, a divindade buscou Éton, a personificação da fome, e a colocou no estômago de Erisícton. O rei passou então a ter um apetite incontrolável e insaciável, consumindo em pouco tempo toda a sua riqueza para satisfazê-lo. Por não conseguir nunca se saciar, o monarca acabou por devorar a si mesmo.

Frequentemente, a história do Rei da Tessália pode ser uma metáfora para a maneira como algumas empresas atuam em relação ao mercado, seus colaboradores e concorrentes. Na ânsia de obter os melhores resultados, esquecem de criar uma base sólida e de dar condições para a evolução da sua própria equipe. São injustas em salários e oportunidades, pouco transparentes em relação à meritocracia e apenas exigem mais e mais, levando toda a sua cadeia produtiva à estafa mental. Ou seja: acabam por devorarem a si mesmos no processo. Porém, este cenário está mudando nos últimos anos.

O Capitalismo Consciente é uma linha de pensamento que combate as práticas dos “monarcas” egoístas modernos, trazendo em si um novo frescor para as relações de trabalho e da empresa com a própria sociedade. Receber dela, mas também entregar. Liderança consciente, evolução contínua e justa, valorização do esforço individual e coletivo, propósito além do lucro e integração da produtividade com ferramentas de bem-estar são alguns pilares desta corrente de ideias.

John Mackey, CEO Whole Foods, e Raj Sisodia, professor e um dos mais cultuados consultores de negócio do mundo, foram os pioneiros ao sistematizar as bases do capitalismo consciente em diversos livros. No Brasil, já há alguns anos grandes organizações têm utilizado de forma dispersa os seus conceitos, aplicando aqui e ali alguns dos seus preceitos.

O Grupo 5A nasceu como uma empresa progressista que hoje investe no Capitalismo Consciente, tendo como missão colocá-lo no dia a dia das companhias de uma forma organizada. A partir da nossa visão de que o talento humano é o principal ativo das organizações, queremos transformá-las para o futuro.

Embarque conosco nessa jornada!

Quer saber como preparar sua empresa para o futuro? Baixe grátis seu e-book CLICANDO AQUI


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0